Projeto Sarau “Boca de Cordel”

 

 

 O mês de agosto, por ser o mês do folclore, foi escolhido para o desenvolvimento do Projeto Sarau “Boca de Cordel”. Os Vice-diretores das escolas integradas ao Programa, como de costume, sempre buscam fazer parcerias com os Professores do Ensino Regular e, dessa vez, o foco foi o Sarau. O Projeto está em andamento e desenvolve trabalhos, por exemplo, varal e poesias de cordel, trabalhos de xilogravuras, poemas recitados e entre outros com alunos dos Anos Iniciais e Finais que, posteriormente, será feita uma exposição na Unidade Escolar e na Diretoria de Ensino.

Normalmente, um sarau é composto por um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de fazer atividades lúdicas e recreativas, como dançar, ouvir músicas, recitar poesias, narrativas, leitura expressiva, jogral de leitura expressiva, contos populares, conversar, ler livros, teatro e artes plásticas (pintura, escultura, xilogravura entre outros) e demais atividades culturais.

Na sua origem a palavra sarau deriva do latim seranus / serum, termos que fazem referência ao “entardecer” ou ao “pôr do sol”. Justamente por essa etimologia, convencionou-se realizar os saraus durante o fim da tarde ou noite.

Este tipo de evento era muito comum durante o século XIX, principalmente entre grupos de aristocratas e burgueses. Era uma realização elegante da sociedade, com direito a piano de cauda e frequentada apenas por pessoas “iluminadas” cultural e financeiramente. A maioria dos saraus tinha participação de poetas e músicos ilustres, mas artistas anônimos também gostavam de sondá-los à procura de um mecenas, proteção financeira e social. Hoje, os saraus não precisam mais de pianos de cauda nem de trajes a rigor e vem sendo redescoberto por seu caráter de inovação, descontração e satisfação. Apenas precisam de pessoas que queiram compartilhar arte.

Trabalhar com sarau na escola não só oportuniza e potencializa o desenvolvimento das competências leitura e escritora  da reescrita e da releitura, como também incrementa as habilidades de audição, expressão corporal, socialização entre outras no percurso do processo de ensino e aprendizagem.

HISTÓRIA

Da corte para o povo

Os saraus chegaram ao Brasil com a família real movidos a erudição, requinte e soberba. Hoje, não precisam mais de pianos de cauda nem traje a rigor. Apenas de pessoas que queiram compartilhar arte

Disponível em : <http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/02/da-corte-para-o-povo> Acesso em: 23 de agosto de 2017

 

EE José Chediak – Clique aqui

EE Prof. Wolny de Carvalho Ramos – Clique aqui